segunda-feira, 22 de maio de 2017

SOBRE QUESTÕES RESPIRATÓRIAS






sou palavra. entre bolores e cheiros acres, sou palavra e corto a superfície e seu dentro. faço ecos: sou sobressalto e limalha dentro da córnea. 
em cada instante, quero vôo e mergulho: saco pinça, cureta, alicate, picareta. até as unhas. sou inquilina do escuro até que ele me tire para dançar. sou paixão de nascença. o tempo e entremeios sem ar. sou a coragem do que faz febre. inspiração e brônquios dilatados. por isso anfitrio o ar e o caminho enquanto (des) espero.  desdobro ante um aroma de flor e ocaso. sob o cantar dalgum pássaro e o seu vôo. hibiscus em flor. gaivotas que sobrevoam o quintal. um choro convulsivo às duas da tarde. sou diversa. permeada de hipóteses no claro das horas. depois, irônica; salto do sobressalto, e, com unhas pintadas; rodopio no meio da sala. palavra em arterial coreografia.

Postagem em destaque

SOBRE QUESTÕES RESPIRATÓRIAS E AMORES INVENTADOS

http://metropolitanafm.uol.com.br/novidades/entretenimento/imagens-incriveis-mostram-a-realidade-das-bailarinas-que-voce-nunca-viu...