FUMEGAÇÕES AGOSTINAS




Abaixo do que é a superfície de mim, sinto algo fumegando... Galeno poderia dizer que é esquizofrenia; porque não? Afinal, alguém já disse que Haloperidol deixa a alma dormente. (a fumegação, é então, um revertério?). De qualquer modo, escrever transforma o que é invisível em palavra. Quando é possível gotejar com encantamento essa palavra; ela então se desdobra e pode contaminar. Feito aroma que entra pelas narinas, passa pelo coração e segue ao cérebro. Ou seria o contrário? Seja como for, as palavras podem ter cheiro. Cheiro de jasmim, por exemplo. Quando as palavras tem cheiro de jasmim, sorvê-las é como participar de uma dança. Uma coreografia se forma no espaço e quando se abre ou fecha os olhos, se vê flor. Me pergunto se isso é igual ao inverso dessa equação: por exemplo, quando eu vejo flores em alguém e então sinto cheiro de jasmim. O que fumega quando a alma está desperta? O quê?

Postagens mais visitadas deste blog

DA CALMA E DO SILÊNCIO

COISAS VERMELHAS

EX-VOTO, ADÉLIA PRADO