domingo, 19 de janeiro de 2014


SPECTACLE: VOLLMOND CORÉGRAPHE: PINA BAUSCH LIEU: WUPPERTAL 2006
fonte: http://www.flickr.com/photos/mmtheusmacena/7037297959

EXCLAMAÇÃO ENTRE VÍRGULAS
Clotilde Zingali

Mesmo que eu perdesse horas contando o tempo que passa, contando o quanto certas coisas demoram de fato eu nunca saberia de onde veio o vento do outro dia, aquele aguaceiro depois. Mesmo que eu pudesse mesmo dominar de algum modo o tempo eu não poderia em sã consciência pensar que algo qualquer se modifica por dentro quando você faz bainha em um pano de prato surrado pra caramba mas que tem um valor emocional pra você e faz isso na máquina de costura que foi de sua bisa que você nunca viu mas sente o peso da herança e sente o efeito da máquina tão obsoleta que não borda nem mia nem nada mas que, segundo uma amiga que viveu em Paris e fez essa pesquisa, é uma grande máquina e por uma espécie de derramamento energético você vê o pano de prato agora de volta às possibilidades do uso e sua bisa lá no céu talvez sorrindo e você mesmo todos ligados feito um desenho daqueles que se formam quando se une pontinhos e que você fazia quando era criança e num átimo sente o gosto ainda de ser. Ahe!

Postagem em destaque

SOBRE QUESTÕES RESPIRATÓRIAS E AMORES INVENTADOS

http://metropolitanafm.uol.com.br/novidades/entretenimento/imagens-incriveis-mostram-a-realidade-das-bailarinas-que-voce-nunca-viu...