ZENZO

ilustração: Leila Domingues
ZENZO I

carpir
fagulhas do outono,

osso e cartilagens,
devires,
toda a terra
que o olho pisou;

toda pedra.


ZENZO II

todo homem arde,
ceifa
carrega anêmonas na pele;

todo homem navega,
tem velas, motores
e rema;

todo homem é sambaqui
poço de valas e sulcos;

todo homem

é maresia.

Postagens mais visitadas deste blog

DA CALMA E DO SILÊNCIO

COISAS VERMELHAS

EX-VOTO, ADÉLIA PRADO