SORTE




uma greta, uma fenda. um espaço em branco. não tem jeito: sou uma sorte de fragmentos. sequência de enigmas e ausência de paz. o propósito? escrever para evitar a renúncia.

Postagens mais visitadas deste blog

DA CALMA E DO SILÊNCIO

COISAS VERMELHAS

EX-VOTO, ADÉLIA PRADO